11 - 3284-8209    Endereço Rua Carlos Sampaio, 304 conj. 82. Bela Vista. São Paulo, SP.

ARTIGOS E PUBLICAÇÕES

A ansiedade é uma emoção complexa e envolve sentimentos de medo e apreensão, e sensações físicas como aceleração dos batimentos cardíacos, respiração ofegante e mãos frias. Sentir ansiedade é normal. Por exemplo, se você vai atravessar uma avenida movimentada, é de se esperar que olhe para os lados antes de atravessá-la. É o medo de ser atropelado que o faz olhar com cuidado. E isto é normal.

No entanto, quando o medo se torna exagerado, como ter medo de usar o elevador por achar que vai morrer asfixiado e deixar de fazê-lo, ou irracional, como evitar dirigir no trânsito por achar que vai passar mal e se descontrolar, aí sim o medo e a ansiedade se tornam um problema de saúde, e são classificados como transtornos de ansiedade. Algumas pessoas que sofrem de transtornos de ansiedade apresentam outros problemas associados, como depressão e problemas com álcool e drogas.

O que são os transtornos de ansiedade? Um transtorno de ansiedade se caracteriza pela presença de sintomas de ansiedade acarretando considerável prejuízo em alguma área da vida, como trabalho, lazer, contatos sociais e vida conjugal. Além dos sintomas de ansiedade descritos acima, podem ocorrer outros sintomas, como tontura, tremores, suor em excesso, boca seca, palpitações, dor no peito, falta de ar, tensão muscular, desconforto na região do abdome, diarreia, urgência para urinar, sensações de estranheza ou de irrealidade, inquietação, irritação, desassossego, insegurança, necessidade de sair do local em que se encontra e evitação de situações que produzam ansiedade.

 Existem diversos tipos de transtornos de ansiedade descritos na Classificação Internacional de Doenças, a CID-10:

Transtorno de pânico Os sintomas se manifestam como crises agudas de ansiedade, com pavor, sensação de morte iminente, de estar enlouquecendo ou perdendo o controle. Estas crises ocorrem espontaneamente, não se relacionando à presença de qualquer situação ou objeto específico.

Agorafobia É a complicação mais frequente do transtorno de pânico. A pessoa passa a evitar diversas situações, como sair de casa sozinho ou estar em casa sozinho, por medo de ter sintomas de pânico. Quem sofre deste transtorno, geralmente precisa da companhia de alguém de confiança para poder sair de casa.

Fobia social É o medo de ser avaliado negativamente pelos outros, o que leva a pessoa a evitar situações em que ela esteja sob “a mira” ou sob o julgamento dos outros, como festas e ambientes sociais, ou fazer coisas na frente dos outros – falar, comer, beber e escrever. Fobias específicas É o medo de objetos ou situações bem definidas, entre outros, o medo de animais, de altura, de locais fechados, de água, de sangue e de avião. Existem muitas situações e objetos envolvidos nas fobias específicas. O que caracteriza o quadro é a esquiva destas situações, isto é, a evitação.

Ansiedade generalizada Ao contrário do pânico, os sintomas não ocorrem em forma de crises, e sim de uma maneira mais constante ao longo do dia, causando muito sofrimento. As queixas mais comuns são preocupação excessiva, irritabilidade, inquietação, nervosismo, insônia e tensão muscular Transtorno de estresse pós-traumático Neste transtorno uma experiência traumática fora do comum é vivida pela pessoa – sequestro, assalto, estupro, testemunhar a morte de alguém, passar por catástrofes, como enchentes, incêndios e ser torturado, entre outras. A pessoa passa a apresentar vivências diurnas, chamadas de flashbacks e pesadelos com imagens da situação traumática. Com frequência, manifestam sintomas de anestesia emocional, ficando apáticas e só saindo deste estado ao reviver o trauma. Também apresentam vários dos sintomas de ansiedade descritos acima.